Melhor Filme: “Doramundo”, de João Batista de Andrade

Melhor Diretor: João Batista de Andrade, por “Doramundo”

Melhor Ator: Reginaldo Faria, por “Lúcio Flávio – O Passageiro da Agonia”

Melhor Atriz: Kátia D’ângelo, por “Barra Pesada”

Melhor Ator Coadjuvante: Ivan Cândido, por “Barra Pesada”, e Milton Gonçalves, por “Lúcio Flávio – O Passageiro da Agonia”

Melhor Atriz Coadjuvante: Miriam Muniz, por “O Jogo da Vida”

Melhor Fotografia: Lauro Escorel, por “Lúcio Flávio – O Passageiro da Agonia”

Melhor Roteiro: Almir Muniz e Oswaldo Caldeira, por “Ajuricaba”

Melhor Trilha Sonora: Edú Lobo, por “Barra Pesada”

Melhor Montagem: Sílvio Renoldi, por “Lúcio Flávio – O Passageiro da Agonia”

Melhor Cenografia: Laonte Klawa, por “Doramundo” Atriz Revelação: Gilda Ferreira, por “Diamante Bruto”

Prêmio Especial: Cosme Alves Neto, pelo seu trabalho à frente da Cinemateca do Museu de Arte Moderna, e Gilda Ferreira, atriz revelação em “Diamante Bruto”

Melhor Curta-Metragem: “O Grande Circo Místico”, de João Carlos Horta

Melhor Curta-Metragem Gaúcho: “O Leão do Caverá”, de Rubens Bender e Antônio Jesus Pfeil

Patrocinadores