Marcos Santuario participa do Prêmio Platino de Cinema Ibero-Americano
VEJA TODAS AS NOTÍCIAS

Velhinha rebelde conquista espectadores em “Violeta al fín”, da Costa Rica

Uma pequena sutileza no título do filme da Costa Rica em competição neste 46º Festival de Cinema de Gramado é a chave para entender a profundidade da obra da diretora Hilda Hidalgo, exibida na noite de quinta-feira (23).

Embora “Violeta al fín” tenha uma protagonista de 72 anos e, pelo título, possa dar a impressão ao espectador de que aborda a história de alguém que se aproxima do final da vida, ele retrata uma mulher que se reinventa. Depois de 45 anos de casamento, Violeta decide pelo divórcio. Pressionada pelos filhos a vender a casa, e pelo banco que cobra uma hipoteca que ela desconhecia ter sido feita, ela luta com os recursos que tem para assegurar seu patrimônio e sua autonomia de pensamento. “O título se refere a um processo de construção, de como ela chega ‘ao fim’ de um processo”, explica a produtora argentina radicada no México Laura Imperiale.

A liberdade de Violeta é seu jardim, um oásis no meio da cidade onde a especulação imobiliária impera. Nele frutificam mangueiras, abacateiros e limoeiros – lá residem também as memórias de seus mortos, da mãe que a ensinou a mexer na terra, do pai. Um mundo ameaçado pelo acordo do banco credor da hipoteca com uma construtora, embate que se ancora na realidade da Costa Rica. “No fundo, é também uma crítica ao próprio país, que nunca pensou em conservar seu patrimônio, sua identidade. Então Violeta não deixa de representar também essa busca do encontro consigo mesmo”, complementa a produtora.

A mesma Violeta que se rebela, é doce no cuidado com as plantas e os amigos, mistura que conquistou os espectadores no Palácio dos Festivais.

Um país com equidade de gênero no cinema

A protagonista da película que dá vida à Violeta, Eugenia Chaverri, consagrou o filme à todas as pessoas da terceira idade, discursando na noite em que foi projetado: “Quando uma pessoa completa 62 anos, ela passa a ser considerada limitada, então essa personagem é um presente para mim, porque me dá a possibilidade de defender essas pessoas”.

O filme também é provocativo sobre o lugar da mulher na sociedade, com Violeta sendo questionada o tempo todo pela ousadia de tomar suas próprias decisões sem dar ouvido a filhos ou consultar o ex-marido.

Esse aspecto feminista do filme, ao mesmo tempo em que reflete o espírito do tempo atual, também é conseqüência concreta do estado do cinema na Costa Rica. O país centro-americano ostenta a raríssima marca de ter equidade de gênero no cinema. “Hoje em dia, mais de 50% dos filmes costariquenhos são dirigidos por mulheres”, revela o diretor de fotografia de “Violeta al fín”, Nicolás Wong Díaz.

Hilda Hidalgo, diretora da obra, é uma dessas mulheres que estão à frente de projetos não só de produção de cinema, mas de fomento à sétima arte, uma vez que as duas principais iniciativas nesse sentido tiveram participação majoritária feminina na Costa Rica: a criação da lei do cinema e a fundação do centro de produção cinematográfica. “Ainda nos falta percorrer muito em termos de equidade de gênero, mas é uma realidade que me parece linda”, celebra Wong Díaz.

 

Ministério da Cultura, Secretaria de Estado da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer e Snowland apresentam o 46º Festival de Cinema de Gramado. Lei de Incentivo à Cultura. Patrocínio: Stella Artois e Casa Aveiro By Dolores. Copatrocínio: Banrisul – Seja Vero. Apoio especial: Gramado Parks. Apoio: Stemac Grupos Geradores, Lugano, Cristais de Gramado, Viviela London, G2 Net Sul e ENIT – Agência Nacional de Turismo da Itália. Apoio institucional: Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, Fundacine, ACCIRS, IECINE, APTC/ABD RS, SIAV e Museu do Festival de Cinema de Gramado. Agência Oficial: Vento Sul Turismo. Transporte Oficial: Kia. Agente Cultural: AM Produções. Promoção: Prefeitura de Gramado. Financiamento Pró-Cultura RS, Secretaria de Estado da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer, Governo do Estado do Rio Grande do Sul. Realização: Gramadotur, Ministério da Cultura, Governo Federal.