“Construção” é o melhor filme do Prêmio Assembleia Legislativa – Mostra Gaúcha de Curtas

“Construção” é o melhor filme do Prêmio Assembleia Legislativa – Mostra Gaúcha de Curtas

A noite de premiação do 17º Prêmio Assembleia Legislativa – Mostra Gaúcha de Curtas foi repleta de expectativas e emoção. Realizada à distância pela primeira vez,  a cerimônia contou com os recursos tecnológicos para aproximar as equipes. Transmitida ao vivo pelas redes sociais do Festival de Cinema de Gramado direto do Palácio dos Festivais, os concorrentes nas categorias Melhor Atriz, Melhor Ator, Melhor Direção e Melhor Filme aguardaram o resultado ao vivo, no telão.

O grande vencedor como Melhor Filme é “Construção”, de Leonardo da Rosa, que também leva para a casa o prêmio de Melhor Direção e Melhor Montagem para André Berzagui e Arthur Amaral. Construção narra a história de Andréia que depois de despejada de sua casa volta para a comunidade de Getúlio Vargas com seus filhos Augusto, Gustavo e Bruno e inicia, com a ajuda deles, a construção da casa própria.

“A gente como universitário sempre almejou estar na Mostra Gaúcha de Gramado. Só tenho a agradecer ao Festival. Estou muito feliz, todos os concorrentes foram produções muito cuidadosas. Quero agradecer também à UFPel (Universidade Federal de Pelotas) por dar todo esse apoio para nós, isso só mostra a força da universidade pública. Tenho que agradecer também a toda equipe que fez parte do filme e principalmente à Andreia e aos filhos, que foram o alicerce da história ”, comenta Leonardo.

“Deserto Estrangeiro”, de Davi Pretto, venceu em três categorias: Melhor Ator, para Mauro Soares, Melhor Atriz para a atriz e performer portuguesa Isabél Zuaa, que também participa do longa brasileiro em competição “Um animal amarelo”, e Melhor Fotografia, para Luciana Baseggio.

“Para mim é muito importante estar perto do cinema brasileiro a esta altura. Fico muito agradecido e comovido por isso, o cinema brasileiro é de grande qualidade”,  agradece Mauro Soares. “Deserto estrangeiro” conta a história de um jovem brasileiro que recém começou a trabalhar em uma imensa floresta em Berlim, e é arrastado para um pesadelo envolvendo o passado colonial alemão quando tenta encontrar uma garota perdida na mata.

“Desencanto” recebeu Melhor Roteiro para Richard Tavares, “Sopa Noir” ganhou Melhor Direção de Arte para Alice Sperb e Thiago Dorsch, “Magnética” venceu na categoria Melhor Música para Valmor Pedretti, Melhor Edição de Som foi para Gabriel Portela, para “Letícia Monte Bonito 04”, e Melhor Produção Executiva para Matheus Heinz de “Lacrimosa”.

Este ano, foram 113 produções inscritas, de 17 cidades. A Comissão de Seleção composta pelo diretor e roteirista Lucas Cassales, pela produtora Tatiana Behar, pelo publicitário e servidor da Assembleia Legislativa Rafael Severo, pelo crítico Yuri Correa, e pela produtora Gisele Hiltl foi a responsável por escolher os 19 concorrentes que foram exibidos no serviço de streaming do Canal Brasil.

Já o júri formado pelo jornalista, crítico e pesquisador Adriano Garret, pela cineasta e professora universitária Karla Holanda, pelo produtor executivo Fernando Dias, pela atriz, educadora e presidenta da Academia Paraibana de Cinema, Zezita Matos e pela produtora cultural e diretora do Icumam Cultural e Instituto Maria Abdalla teve a responsabilidade de escolher os vencedores da noite.

A emoção extra ficou por conta dos depoimentos de nomes como o do fotógrafo e diretor de cena Gilberto Perin, do cineasta Boca Migotto, do ator Sirmar Antunes, do montador Giba Assis Brasil, do cineasta José Pedro Goularte, do ator Werner Schünneman, do cineasta e roteirista Jorge Furtado e da jornalista e produtora cultural Alice Urbim.

O ator e locutor, João França, que faleceu em março, foi lembrado por ajudar a organizar a categoria no Rio Grande do Sul e também, pela sua generosidade recebeu uma homenagem especial in memoriam. 

Vencedores do 17º Prêmio Assembleia Legislativa – Mostra Gaúcha de Curtas

Melhor Filme
Construção, de Leonardo da Rosa

Melhor ator
Mauro Soares, por Deserto Estrangeiro

Melhor Atriz
Isabél Zuaa, por Deserto Estrangeiro

Melhor Direção
Leonardo da Rosa, por Construção

Melhor Roteiro
Richard Tavares, por Desencanto

Melhor Fotografia
Luciana Baseggio, por Deserto Estrangeiro

Melhor Montagem
André Berzagui e Arthur Amaral, por Construção

Melhor Direção de Arte

Alice Sperb e Thiago Dorsch, por Sopa Noir

Melhor Música (Trilha Sonora)
Valmor Pedretti, por Magnética

Melhor Edição de Som (Desenho de Som)
Gabriel Portela, por Letícia Monte Bonito 04

Melhor Produção Executiva
Matheus Heinz, por Lacrimosa

Prêmio da Crítica
Fragmentos ao Vento 1945, de Ulisses Da Motta

Menção Honrosa
Construção, de Leonardo da Rosa

Prêmio Especial do Júri
O que pode um corpo?, Victor Di Marco e Márcio Picoli

 

 

Ministério do Turismo, Secretaria de Estado da Cultura e Stella Artois apresentam o 48º Festival de Cinema de Gramado. Lei de Incentivo à Cultura. Patrocínio: Stella Artois. Copatrocínio: Vero, a maquininha do Banrisul. Apoio Especial: Companhia Riograndense de Saneamento – CORSAN. Governo do Estado do Rio Grande do Sul. Novas Façanhas. Apoio: Adylnet/Connect City, Laghetto Hotéis, The End, Miolo Wine Group, Stemac Grupos Geradores, Cristais de Gramado, Caracol, Planalto Chocolates e Tecna. Exibidor Oficial: Canal Brasil. Agência Oficial: Vento Sul Turismo. Apoio institucional: Museu do Festival de Cinema de Gramado, SIAV RS, ACCIRS, IECINE, APTC/ABD-RS, Fundacine, Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, Ancine. Agente cultural: AM Produções. Promoção: Prefeitura de Gramado. Financiamento: Pró-Cultura/RS, Secretaria de Estado da Cultura, Governo do Estado do Rio Grande do Sul. Realização: Gramadotur, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo, Governo Federal, Pátria Amada Brasil.


Publicado por: Pauta Assessoria
patrocinadores